domingo, 9 de março de 2014

Marselha

Marselha

Hoje vou fazer um roteiro da cidade de Marselha. Visitei esta cidade o ano passado e não sei porquê ia com a ideia de que não ia gostar da cidade, mas esta surpreendeu-me e mostrou-me que nunca posso ir com ideias pré-concebidas porque cada cidade tem a sua magia e o seu encanto.

Marselha é a segunda maior cidade de França e capital de Provença, na região da Côte d'Azur. Esta cidade surge como o porto mais importante de França, tendo ligações com África, Itália e Espanha.
Esta cidade tem uma característica absolutamente fantástica, os fortes ventos mistrais que sopram na cidade, afastam todo e qualquer vestígio de poluição e deixam o ar puro, o que levou a que muitos artistas famosos fossem atraídos para a cidade: Cézanne, Braque, Derain, Dufy e Marquet.
Na idade média, a cidade alargou as suas muralhas e foi dotada de construções religiosas importantes. E no primeiro terço do séc. XIX fizeram-se obras monumentais, como a escavação do canal de Marseille, ou a estação para acolher a linha ferroviária Paris-Lyon-Mediterrâneo.
No início do séc. XX, a vida de Marselha concentrou-se na Canebière,famosa avenida onde reina uma intensa animação fruto da quantidade de cafés da época, negociantes e armadores.
Embora Marselha surja como a capital económica e industrial de França, esta consegue manter-se fiel às suas tradições e cultura, que se refletem nos seus numerosos museus, teatros e óperas.

Vista da cidade de Marselha
Começámos a nossa viagem na Praça Juliette e seguimos caminho para a Plaza de la Major, onde se situa a bonita Cathédrale La Major (aberto 10h-19h), a catedral de Marselha começou a ser construída em 1852 e finalizada em 1893. Tem um estilo românico-bizantino e é um dos principais pontos turísticos da cidade. Esta Catedral fica um pouco afastada do centro mas vale a pena fazer a deslocação para a visitar. 
Nós como íamos de cruzeiro, ficámos relativamente perto e foi o primeiro local a ser visitado.

Catedral La Major
Catedral vista por dentro

Saímos da Catedral e fomos apanhar o autocarro nº60, junto ao Forte de Saint Jean que nos levou à Cathédral Notre Dame de La Guarde, pagámos 1.80€ por pessoa pela viagem. Podemos igualmente apanhar o Petit-Train, por 7€, junto ao Velho Porto e faz um circuito pela cidade, parando 20 minutos em Notre Dame.
O Forte de Saint Jean é uma fortificação em Marselha, construído em 1660 por Luís XIV na entrada do Velho Porto. Desde o ano passado possui  2 pontes que o ligam, uma à parte velha da cidade, Le Panier e a outra ao Museu Internacional Francês.

Forte St. Jean
A Cathédrale Notre Dame de La Guarde é o símbolo da cidade, situada sobre uma colina de 154 metros acima do nível do mar. A basílica actual, de estilo romano bizantino, foi construída segundo os planos do arquitecto Espérandieu, sob o reinado de Napoleão III e ficou concluída em 1864. Uma virgem dourada de 9,7 metros coroa o edifício.

Catedral Notre Dame de La Guarde

De seguida, optámos por descer a colina a pé e apreciar as bonitas paisagens sobre a cidade e o Porto Velho. Ao descer a colina passámos pela entrada do Jardim P.Puget.
Chegámos então ao Vieux-Port e decidimos explorá-lo mais tarde e seguimos caminho para o Palais de Pharo, onde passeámos por bonitos jardins, pena foi estar muito vento mesmo. Este palácio é a antiga residência imperial, mandada construir por Napoleão III. A sua principal função é acolher congressos e outras manifestações de prestígio. Os jardins magníficos oferecem uma vista fantástica sobre o Vieux-Port

Palais de Pharo
Saímos do Palais de Pharo e decidimos caminhar  até Vallon des Auffes o que nos proporcionou uma paisagem muito bonita com praias e pequenas aldeias. Neste percurso passámos também pela Ponte de L'Orient.

Ponte L'Orient
 Finalmente chegámos a Vallon des Auffes, uma antiga aldeia de pescadores, onde se situam os restaurantes de peixe mais famosos de Marselha. Os cabanons (antigas habitações de pescadores) estão agrupados à volta de um pequeno porto tranquilo, onde estão ancoradas as barquettes (barquinhas típicas coloridas). Para conseguirmos chegar a esta aldeia temos que descer umas escadinhas e uma ruela que proporcionam um passeio bastante agradável.

Vallon des Auffes
Para regressar optámos por apanhar o autocarro, nº83, que nos deixou no Forte St. Nicolas, que não conseguimos visitar. Seguimos então em direcção ao Vieux-Port, passando pelo Mercado e prosseguindo pela Canebiere, onde visitámos a Igreja das Reformas.

O Vieux-Port é um lugar excepcional no centro da cidade. A enseada do Lacydon, descoberta há 2600 anos, oferece, hoje 3500 lugares para barcos de recreio. O Vieux-Port está rodeado de monumentos ilustres alguns já falados, nomeadamente O Forte de Saint Nicolas, o Forte de Saint Jean, o Palais du Pharo e ainda a Igreja Saint-Laurent, a Câmara Municipal, o Hotel Dieu e o famoso campanário Accoules.


Vieux-Port

Já o Mercado do Peixe, situa-se em pleno centro da cidade, no Vieux-Port e abre todas as manhãs. Nele são vendidos todos os peixes do Mediterrâneo e, em particular, os que fazem parte da famosa bouillabaisse (caldeirada de marselha).

Mercado

Igreja das Reformas

Existem outros monumentos que poderão ser visitados e os quais aconselho, mas que eu não tive tempo para ver. São eles a Abbaye Saint Victor, Le Panier (bairro), Palais de la Bourse e o Palais Longchamps. Existem ainda muitos outros que poderão encontrar nesta bonita cidade francesa.

Espero que tenham gostado.

:)



Sem comentários:

Enviar um comentário