sexta-feira, 14 de março de 2014

Nápoles

Nápoles

Hoje o tema do meu roteiro será Nápoles, cidade italiana fundada no séc. IX a.C., como uma colónia da Grécia Antiga. O seu centro histórico é dos maiores da Europa e foi classificado pela UNESCO como Património Mundial. 
Esta cidade oferece um misto de beleza e uma cultura baseada num forte sentido de vida no limite.

Para mim esta cidade foi um misto de emoções e sentimentos. A primeira impressão foi absolutamente horrível, mas depois aprendemos a admirar esta cidade.

Decidimos começar o nosso percurso pela Piazza Garibaldi, contudo o caminho do porto até lá é extremamente perigoso e sujo. Ao ponto de eu só querer voltar para trás cheia de medo (após um italiano ter vindo ter comigo e dito para eu guardar a máquina fotográfica que podia ser assaltada).  A juntar a isto tudo o trânsito é infernal, parecendo animais a conduzir. Não gosto muito de falar mal mas para que percebam só um pouco do que estou a dizer deixo uma foto apenas da parte má.

Lixo na rua

Começámos o nosso percurso a ver a Basílica Santuário del Carmine Maggiore, na Piazza Carmine. A igreja foi fundada no século XIII, por frades carmelitas.  Ela é o lar de duas relíquias religiosas : a pintura de Madonna Bruna  e uma figura da crucificação em que a coroa espinhos está em falta. Segundo a lenda, a coroa caiu da cabeça de Cristo quando o edifício foi atingido por uma bala de canhão em 1439.

Basílica Santuário del Carmine Maggiore

Seguimos depois, em direcção à Piazza Garibaldi, mas para lá chegar passámos por ruas absolutamente assustadoras, todas sujas e degradadas.
Já na praça vimos a estátua de Giuseppe Garibaldi e posteriormente a Capella Di San Gennaro e a Capella S. Paolo de Maggiore.
A primeira, é um monumento artístico importante e onde estão depositadas obras importantes. Já a segunda, o local onde se encontra sepultado Gaetano Thiene, conhecido como São Caetano, fundador da Ordem dos Clérigos Regulares.

Estátua de Giuseppe Garibaldi
Capella di San Gennaro
Capella di San Paolo Maggiore
Seguimos viagem e conforme andávamos íamos admirando os vários monumentos, nomeadamente a Chiesa di San Nicola al Nilo e Santa Chiara.
A Chiesa di San Nicola foi fundado no século XVII, dedicada a São Nicolas. Em 1705, a igreja que vemos agora foi construído com um projecto por Giuseppe Lucchesi. Após o terramoto de Irpinia 1980, o complexo foi abandonado e entregue à Comunidade de Santo Egídio. 
A Santa Chiara é um complexo, constituído pela Igreja de Santa Chiara, catacumbas e um museu arqueológico. A igreja está aberta das 7h30-13h/16h30-20h. O preço é 6€ por pessoa.

Chiesa di San Nicola al Nilo
Santa Chiara
Começamos depois a passear pela parte mais bonita de Nápoles, segundo o meu ponto de vista, ruelas cheias de lojas, a Via Benedetto Croce, onde comprámos imensos souveniers.
Chegámos depois à Piazza del Gesù Nuovo, onde vimos a Chiesa Gesù Nuovo. Esta foi originalmente construída em 1479, por Roberto Sanseverino, Príncipe de Salerno. Actualmente, pertence à Ordem Franciscana.

Chiesa Gesù Nuovo
Partimos depois, em direcção à Piazza Plebiscito e passámos pelo Castel Nuovo. A sua construção iniciou-se em 1279, por ordem de Carlos I de Anjou, mas apenas foi habitado em 1285, por Carlos II de Nápoles. Este sofreu várias alterações ao longo dos tempos e no início do século XVI, deixou de ser utilizado como residência real e assumiu a função de fortaleza militar, voltando a ser ocupado pela realeza no séc. XVIII.

Castelo Nuovo
Chegados`à Piazza Plebiscito, uma das ruas mais largas de Nápoles, encontramos a Basílica di San Francesco di Paola, o Palazzo Reale e o Palácio de Salerno.  
A Basílica di San Francesco di Paola, é a mais célebre igreja de Nápoles, sendo a mais importante igreja italiana do período neoclássico. Em 1815, o rei Ferdinando I, decide mandar construir a Basílica como agradecimento a São Francisco di Paola, pela reconquista do reino.
O Palazzo Reale (aberto 9h-20h), é um dos quatro palácios que serviram de residência aos Reis de Nápoles e Sicília durante o reinado, no Reino das Duas Sicílias (1730-1860).
Já o Palazzo Salerno, foi construído no final do séc. XVIII pelo arquitecto Francesco Sicuro. Ele resulta da transformação de um antigo convento, destinado aos cadetes reais. Actualmente, é a residência do General das Forças Armadas do Sul de Itália.

Palazzo Reale
Basílica di San Francesco di Paola
Palácio Salerno

Para terminar a visita à cidade passámos pelo Teatro San Carlo e pela Galeria Umberto I. O Teatro San Carlo, é uma casa de ópera, sendo o mais antigo teatro da Europa ainda em actividade. Foi fundado pelo Bourbon Carlos III de Espanha, tendo sido inaugurado em 1737.
Já a Galleria Umberto I, é uma galeria comercial pública. Está localizada em frente ao Teatro San Carlo. Foi construído entre 1887-1891 e recebeu o nome de Umberto I, que era o rei da Itália nesse momento. 

Teatro San Carlo
Galleria Umberto I
E acabava assim a nossa visita a Nápoles, tendo noção que ficavam ainda algumas coisas por visitar. Nomeadamente, o Castel dell'Ovo, que foi até ao início do séc. XVI, palácio real dos soberanos de Nápoles. O Castel Sant'Elmo, forte medieval localizado num cume, visualizando toda a cidade e actualmente funciona como museu. E a Certosa di S.Martino, é um dos principais monumentos de Nápoles, sendo um exemplo perfeito da arquitetura barroca. Localiza-se na colina Vomero, ao lado do Castel Sant'Elmo. Desde 1866 que abriga o Museu Nacional de San Martino.

Apesar da primeira impressão menos positiva, ao longo do passeio conseguimos ir mudando a mesma. Contudo, e apesar de até ter gostado, não está nos meus planos voltar a visitar Nápoles.

Mas como eu costumo dizer, não há lugar no mundo que não mereça ser visitado e cada pessoa vive a experiência de maneira diferente, logo aconselho que visitem e desfrutem o máximo. 
Um conselho que dou é ficarem-se pela parte turística e não irem como nós à descoberta pois podem ocorrer alguns problemas.

Espero que tenham gostado.....

:)

9 comentários:

  1. É um lindo local é um apena aquele lixo todo na primeira foto, as pessoas tocam, depois acontece algo por causa do lixo que elas mesmo colocaram e daí querem reclamar. Isso me revolta. Bjus
    FB Jessica Reinheimer
    http://dicasfemininasetc.wordpress.com/

    ResponderEliminar
  2. eu simplesmente amo blogs de viajem, e o seu está muito lindo.
    eu tenho o sonho de conhecer vários lugares, e praticamente todo o meu dinheiro eu guardo pro intercâmbio que quero fazer, que vai ser a primeira viajem em outro país!
    amei muito seu post.
    fb www.vocemecansa.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Faz bem Lua e hoje em dia já se conseguem fazer viagens bem baratas.... Caso venha a Portugal pode sempre pedir dicas a mim. Beijinhos

      Eliminar
  3. Ai! Não acredito que não conhecia seu blog <3 AMO viajar e um dos meus sonhos é ir pra Itália. Acho tão encantador, mas ainda não sabia dessa parte de Nápoles perigosa e suja :( Ainda bem que, quase todo o resto da viagem, pelo menos, foi bem agradável!

    Amei o post. <3

    FB
    viciadas-em-livros.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os meus países de eleição são Itália e Grécia e realmente são locais que vale a pena visitar. Mas como em todo o lado há sítios que supostamente não são frequentados por turistas e eles não têm tanto cuidado.

      Eliminar
  4. Acontece que as pessoas não sabem ser civilizadas e deitam lixo em qualquer lado e depois encontramos imagens assim.....

    ResponderEliminar
  5. Ai que bom que você pode compartilhar com todas nos os momentos da sua viagem e a oportunidade de conhecer um pouco de outros lugares. Beijinhos ! PinkforPink-FB
    http://pink-for-pink.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  6. A Cidade é realmente mto linda, mais em si tratando de lixo na rua traz um aspecto ruim p/ qualquer lugar...
    http://crismaria2013.blogspot.com.br/
    FB

    ResponderEliminar
  7. A cidade é perfeita, apesar do lixo.
    Gostei das fotos. Muito legais.

    FB
    http://www.thayandrade21.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar