domingo, 4 de maio de 2014

Ilhas Gregas

Ilhas Gregas

Hoje dedicarei este artigo a 10 ilhas gregas, que merecem ser destacadas. Contudo deixo aqui desde já a dica que independentemente de falar ou não de determinadas ilhas, todas elas merecem ser visitadas. Calcula-se existam mais de 2000 ilhas gregas, embora apenas cerca de 200 sejam habitadas. E em relação a estas podemos afirmar que não existem duas ilhas iguais e que cada uma delas merece ser visitada.

A Grécia é de facto o meu país de eleição e a cada dia que passa sinto mais vontade de regressar e conhecer outros locais. Mas o que há nestas ilhas de tão especial que me faz querer regressar? Pessoalmente adoro a gastronomia (e logo eu que sou esquisita), adoro a cultura, as atracções históricas, as praias e acima de tudo o seu povo e a sua hospitalidade, que tanto me fazem lembrar de Portugal.

Deste encantador país conheço Santorini, Rodes e Katakolon. Se tudo correr dentro do previsto este ano regressarei a Santorini e conhecerei Mykonos e Corfu. Como tal, deixarei estas ilhas para fazer roteiros completos das mesmas e não falarei delas neste artigo.


Dodecaneso
Cárpatos
É a terceira maior ilha do grupo das Dodecanesas, sendo uma das ilhas mais pitorescas deste país. É uma ilha majestosa e montanhosa, localizada no Mar dos Cárpatos, entre Creta e Rhodes. Esta é uma ilha de tradições muito fortes, onde é possível sentir a hospitalidade da Grécia de há 50 anos atrás.
É uma ilha que ainda não está muito aberta ao turismo sendo possível ainda encontrar praias desertas e usufruir de umas férias tranquilas. A aldeia de Olympos é uma das suas principais atracções, onde encontramos mulheres vestidas com os trajes tradicionais locais e encontramos as típicas casas caiadas, que se colam à encosta da montanha, onde as ruínas de moinhos de vento acrescentam um toque animado à paisagem. Mas podemos ainda visitar o velho porto de pesca de Pigádia e desfrutar da paisagem, enquanto bebemos um café numa das muitas tabernas da marginal.
Ilha de Cárpatos (Fonte visao.sapo.pt)
Pátmos
Segundo a mitologia, Pátmos foi um presente de Zeus à filha Ártemis, deusa da caça.
Pátmos não é uma grande ilha, mas é uma das mais conhecidas. Acredita-se que foi aqui São João teve a sua "Revelação" e escreveu o Apocalipse. Em 1088, foi fundado o Mosteiro de S.João, para comemorar as visões sagradas do santo. Este funcionou em tempos como fortaleza para proteger a ilha dos piratas e é lá que se encontra a gruta onde o apóstolo terá passado parte do seu tempo.
Ilha de Patmos (nasendadacruz.blogspot.pt)
Sými
Sými é uma verdadeira jóia do Egeu e quem chega ao porto desta bela ilha fica com a sensação de estar a ver a pintura de uma aldeia de Veneza. Esta é uma ilha de marinheiros, profundamente marcada pelas manifestações de fé dos homens do mar.
As casas percorrem a colina desde o porto até ao topo da mesma, onde pudemos encontrar o Castelo dos Cavaleiros. Na área do porto, encontramos a vila de Gialós e no alto da montanha temos a vila Chorio que se ligam por uma escadaria de 375 degraus. Em Gialós pudemos admirar as belas fachadas neoclássicas e bastante coloridas e vale mesmo a pena subir os degraus até Chorio para ver a vista.
Ilha de Sými (Fonte www.fragatasurprise.com)

Tilos
Esta é o tipo de ilha que julgamos já não existir e afastada dos turistas, muito por culpa pela sua relativa inacessibilidade. Possui 19 praias, doze montanhas com fluxo nascentes, sete castelos medievais, um mosteiro bizantino, cerca de 200 igrejas, uma caverna com algumas escavações, mais de uma centena de espécies de aves, centenas de espécies de plantas selvagens e pouco mais de 500 habitantes.
O porto e capital da ilha, Livádia, é um daqueles lugares, extremamente raros hoje em dia, onde pudemos sentar à noite na praça municipal juntamente com os habitantes e observar as crianças a brincar à volta da fonte, enquanto degustamos um ouzo.
A história desta ilha mostra-nos uma mistura de vários elementos culturais, que resultam de invasão por parte de vários povos, de diferentes partes do mundo.
Ilha de Tilos

Ilhas Jónicas
Cefalónia
Cefalónia é a maior das sete ilhas jónicas e surge como refúgio tanto para turistas, como para os próprios gregos.  Aqui pudemos desfrutar das suas belas praias, dos seus montes cobertos de pinheiros e da combinação de estâncias animadas com locais mais calmos.
Esta ilha foi devastada em 1953 por um terramoto e a dimensão desta tragédia pode ser visualizada no Museu Histórico e Cultural, na capital Argostóli. Aqui pudemos observar várias exposições, nomeadamente de vestuário, jóias e outros artefactos e ainda fotografias tiradas antes e imediatamente após o terramoto.
Argostóli é uma bela cidade localizada numa baía com várias tabernas à beira-mar, onde pudemos apreciar a azáfama dos pescadores chegados do mar.
Fiskárdo, foi uma das cidades que escapou ao terramoto e como tal conseguimos ainda observar belas mansões coloridas, datadas do séc. XVIII. Outras atracções desta ilha são as grutas de Melissáni, com 30 000 anos, o Parque Nacional que circunda o Monte Énos e ainda a bela praia de Mirtos.
Praia de Mirtos (Fonte novosrumores.blogspot.pt)


Paxoí
A bonita ilha de Paxoí permite ser percorrida numa tarde, pois é extremamente pequena e fácil de conhecer. E facilmente fará amigos entre a população local, que são mais hospitaleiros e simpáticos do que em outros locais. A sua capital, Gáios, localiza-se num porto em forma de meia-lua e principal local de chegada.
Quem chega, geralmente aloja-se ou em Longós ou em Lákka. A primeira é bastante sossegada, permitindo ter uns dias perfeitamente relaxados, podendo provar a melhor comida das Ilhas numa das tabernas da marginal. A segunda, localiza-se numa baía idílica, perto de praias mas bastante isolada, que faz obviamente parte do encanto desta ilha.


Ilha de Paxoí (Fonte pt.depositphotos.com)

Norte do Egeu
Lesbos
Lesbos é a terceira maior ilha grega e sempre foi uma ilha próspera, mesmo quando ainda não era muito popular entre os turistas. Foi em tempos, o centro de construção de barcos e produzia o melhor ouzo da Grécia. O seu interior fértil é adequado à cultura de oliveiras e produção de cereais, a par da pesca.
Mólyvos é o principal centro turístico da ilha, tendo sido construída à volta de um castelo e muitas das suas ruas estreitas, estão cobertas por videiras. Mas existem outros locais apetecíveis nesta bonita ilha, nomeadamente a estância de Pétra (para os apreciadores de praia), a aldeia de Erésos e ainda Sígri.
Uma curiosidade - o termo "lésbica" deriva da interpretação dos poemas de Safo (poetisa que nasceu nesta ilha), cujo conteúdo é dirigido a outras mulheres.

Ilha de Lesbos (Fonte cronicasdorochedo.blogspot.pt)

Argo-Sarónicas Hidra
Hidra foi uma das primeiras ilhas a ser descoberta pelos turistas, sendo actualmente uma das ilhas gregas mais sofisticadas.
Possui altas mansões de pedra, construídas no séc. XIX por armadores, mercadores e capitães do mar. Em tempos esta ilha teve 25 000 habitantes, algo difícil de imaginar quando nos apercebemos do tamanho da ilha.
Actualmente esta ilha possui um ambiente boémio, muito ao estilo de St. Tropez, com lojas, galerias, e restaurantes que atraem todos os que visitam a ilha. E para quem gosta de locais com mais agitação, esta é sem dúvida a ilha a visitar.
Quanto a atracções podemos sempre visitar o Mosteiro de Profítis Ilías, o Convento de Ágia Efpráxia e o Mosteiro de Ágia Triáda, este último só pode ser visitado por homens.
Ilha de Hidra (Fonte viajala.wordpress.com)

Cíclades
Delos
Segundo a mitologia Grega, Apolo nasceu em Delos. Esta ilha foi em tempos um grande centro religioso e local de peregrinação.
Actualmente a ilha não é habitada e transformou-se num grande museu a céu aberto, sendo um dos parques arqueológicos da grécia.
O Terraço do Leão, é um dos locais mais fotografados da Grécia, depois do Parténon. É feito em mármore branco. As estátuas originais foram esculpidas por volta do séc. VI-VII a.C.. Podemos ainda encontrar outros achados arqueológicos, nomeadamente a Casa de Dionísio, a Casa dos Golfinhos e o Museu Arqueológico.
Templo de Apolo (Fonte umpouquinhodecadalugar.com)

Esporádes
Skópelos
Esta é a maior ilha do arquipélago das Esporádes e possui uma costa muito acidentada, com numerosas praias de seixos, algumas das quais de difícil acesso. Sendo que algumas são acessíveis de barco. E se por um lado, temos parte da costa dominada por penhascos, por outro temos um interior da ilha verde e bastante fértil, cheio de olivais e de floresta.
Esta ilha possui uma infinidade de igrejas e mosteiros (mais de 300) e a principal cidade é Skópelos, que possui uma bonita marginal, cheia de bares, cafés, tavernas e lojas de souveniers. Contudo, se nos deslocarmos para o interior da ilha veremos a imagem tradicional de uma ilha grega.
Ilha de Skópelos (Fonte trapeziossemrede.wordpress.com)

Espero que tenham gostado e que possam um dia descobrir o encanto destas ilhas, pois realmente são locais muito especiais.
Cada uma delas é um refúgio único e inigualável, por isso visitem cada uma delas.

Se quiserem mais algum tipo de informação podem sempre entrar em contacto comigo.

Obrigado.






4 comentários:

  1. Adoorei os lugares, cada lugar que li sobre me deu aquela vontade de fazer um mochilão!
    FB blog-minha-voz.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vale mesmo a pena Mikaele, cada uma das ilhas é fantástica.

      Eliminar
  2. Sem dúvidas são mesmo maravilhosas e encantadoras ilhas, Patrícia! E se um dia eu tiver a oportunidade adoraria conhecê-las de perto, pelas fotos postadas as que mais chamaram minha atenção foram as: Skópelos e a Cefalónia, são lindas demais.
    Adorei o post, parabéns!

    http://sentirodrama.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rhanna se puder visite mesmo. Cada uma merece ser visitada. Ainda só conheço Santorini, Rodes e Olímpia. Este ano irei conhecer Mykonos e Corfu e cada vez me apaixono mais pela Grécia.

      Eliminar