sábado, 27 de setembro de 2014

O Porto em 3 dias

O Porto em 3 dias

Para comemorar o Dia Mundial do Turismo decidi falar-vos daquela que é para mim, a seguir a Coimbra (claro......), a cidade mais bonita de Portugal.....O Porto....
O Porto fica situado no noroeste de Portugal, na margem direita do Douro, junto ao Oceano Atlântico. É conhecida como a Cidade Invicta e é onde se encontram as raízes judaicas mais antigas e consistentes dos portugueses. Esta é a cidade que deu o nome a Portugal, quando se chamava Portus Cale, vindo mais tarde a ser a capital do Condado Portucalense, a partir de onde se formou Portugal.
A cidade do Porto é conhecida mundialmente pelo seu vinho, pela sua arquitectura contemporâneo e antiga e ainda pelo seu centro histórico, que foi classificado Património Mundial da Humanidade pela UNESCO.

Decidi então prepara um roteiro de 3 dias para visitar os locais mais emblemáticos desta bonita cidade.

Dia 1 - Centro Antigo do Porto
O primeiro dia é dedicado a passear pelas ruas comerciais da cidade, terminando no centro velho do Porto.  
Iniciamos o percurso no Largo Dr. Pedro Vitorino, onde podemos observar a Igreja de São Lourenço, que foi construída no séc. XVI, sob influencias do renascimento, e serviu para acolher os Jesuítas na cidade.

Seguimos depois em direcção ao Terreiro da Sé, para visitar a a Sé Catedral do Porto, o Paço Episcopal e ainda a Casa do Cabido. A Sé Catedral é um dos monumentos principais e mais antigos de Portugal, cujo inicio remonta à primeira metade do séc. XII. Contudo, o edifício inicial, em estilo românico, sofreu diversas alterações ao longo dos séculos. Encostada à Sé encontramos a Casa do Cabido, um elegante edifício, construído na primeira metade do séc. XVIII, que personifica o poder que a igreja exerceu ao longo dos séculos. Aqui podemos encontrar o Tesouro da Catedral. Podemos ainda encontrar aqui o Paço Episcopal, grandioso edifício barroco, construído nos finais do séc. XVIII a mando do bispo D. Francisco João Rafael de Mendonça.


Seguimos depois em direcção à Estação de São Bento, localizada na Praça de Almeida Garret e conhecida pelos seus painéis de azulejos, que representam cenas passadas no Norte de Portugal. Pudemos ver retratados o Torneio de Arcos de Valdevez, a apresentação de Egas Moniz ao Rei Afonso VII de Leão e Castela, a entrada de D.João I e de Filipa de Lencastre no Porto e ainda a Conquista de Ceuta. Saindo da Estação encontraremos a Igreja dos Congregados, uma das igrejas mais visitadas da cidade. Esta Igreja foi construída em 1703, sobre uma capela que existia no local. Os azulejos que se encontram na fachada são da autoria de Jorge Colaço e os vitrais de Robert Léone e ambos datam de 1920.



Bem próximo encontraremos a Praça da Batalha, onde se localiza a estátua do Rei D.Pedro V e a Igreja de Santo Ildefonso, um exemplar da arte da azulejaria, possuindo onze mil azulejos pintados à mão por Jorge Colaço. Esta igreja data do séc. XVIII e foi dedicada ao arcebispo de Toledo. Nesta Praça encontraremos também o Teatro Nacional de São João, construído entre 1911 e 1918 para substituir um outro que foi devorado por um incêndio em 1908.



Depois seguiremos em direcção à Praça D. João I, que homenageia o décimo rei de Portugal e primeiro da dinastia de Avis, João I de Portugal, que casou com Filipa de Lencastre na cidade do Porto. Neste praça encontraremos o Palácio Atlântico, actual sede do Banco Comercial Português, mesmo em frente estão duas estátuas dos cavalos esculpidas do João Fragoso. No lado oeste da Praça localiza-se o Teatro Rivoli, inaugurado em 1913. Desta Praça parte a Rua de Passos Manuel, dedicada a um dos mais influentes políticos do séc. XIX, aqui teremos a oportunidade de visitar o Coliseu do Porto, em estilo Arte Deco, dos arquitectos Cassiano Branco e Júlio de Brito e que foi inaugurado a 19 de Dezembro de 1941, com um concerto da Sinfónica Nacional.


Seguimos depois em direção à Rua Sá da Bandeira, onde encontraremos o Teatro Sá da Bandeira, edifício que integra,o teatro e três lojas. A 4 de Agosto de 1855, foi inaugurado o Teatro Circo, um barracão de madeira,mandado construir por D. José Toudon Ferrer Catalon, para a sua companhia equestre. Em 1867 esse edifício foi demolido para se fazer um de pedra e cal e 10 anos mais tarde, foi reconstruído, permanecendo até aos dias de hoje.


Ao passear por esta zona não podemos deixar de visitar o mítico Mercado do Bolhão, que foi construído durante a Primeira Guerra Mundial, é caracterizado pela sua monumentalidade, algo próprio da arquitectura neoclássica, tendo em 2013 sido classificado como Monumento de Interesse Público. O Mercado do Bolhão é direccionado sobretudo para produtos frescos, tais como peixe, carne, hortícolas e flores, mas na parte exterior do mesmo existem lojas com outras variedades de artigos. Podemos entrar neste Mercado pela Rua Formosa, pela Rua Sá da Bandeira, pela Rua Alexandre Braga ou ainda pela Rua de Fernandes Tomás.


Bem perto encontraremos a Rua de Santa Catarina, a grande artéria comercial do Porto, cuja origem se deve à família Almada, que durante o séc. XVIII governaram a cidade. Aqui encontramos os mais emblemáticos estabelecimentos comerciais do Porto, que vão desde cafés, lojas de roupa e livrarias. Uma paragem obrigatória é no café turístico Majestic, mais que um café, ele conta a história do Porto. Inaugurado a 17 de Dezembro de 1921, inicialmente com o nome de Elite, era frequentado pela elite portuense. Actualmente, alberga diversas exposições e eventos e permanece como um dos mais belos exemplares da Arte Nova, na cidade do Porto.


Ainda na Rua de Santa Catarina encontraremos a Capela com o mesmo nome e que é um dos exemplos mais interessantes da arte da azulejaria. Isto pois, a Capela de Santa Catarina é revestida por 15 947 azulejos,pintados pelo ceramista da cidade Eduardo Leite, que datam de 1929 e representam a vida de São Francisco de Assis e de Santa Catarina, que são venerados nesta capela. Foi o pintor Amândio Silva que, no séc. XIX, fez o vitral da fachada principal. Bem perto encontraremos ainda o Grande Hotel do Porto, que foi o primeiro hotel da cidade, inaugurado em 1880 e que tornou esta rua como a mais cosmopolita da cidade, dada a importância dos hóspedes nacionais e estrangeiros que aqui pernoitavam.




Dia 2 - Rota da Ribeira
O segundo dia é dedicado à Rota da Ribeira e podemos iniciar o percurso no Largo 1º de Dezembro, onde encontraremos o Mosteiro de Santa Clara, um belo edifício religioso, do séc. XV, construído no estilo gótico-manuelino. Este foi construído em cumprimento de uma promessa feita pela Rainha D. Filipa de Lencastre.
Bem próximo encontraremos a Muralha Fernandina, construída por volta de 1336, para oferecer maior protecção à cidade. A muralha original tinha cerca de 3 km, 10 metros de altura, 30 torres de vigia e 18 portas, mas actualmente pouco resta da mesma. Descendo depois pelo Funicular dos Guindais, chegaremos ao popular Bairro da Ribeira, um dos locais mais turísticos e emblemáticos da cidade. No cais da Ribeira, poderemos ter uma vista privilegiada para as caves da Vila Nova de Gaia, assim como da Ponte D.Luís I, concebida pelo engenheiro belga Teófilo Seyrig. Na Rua de Cima do Muro existem imensos restaurantes prontos a receber qualquer pessoa para uma excelente refeição. Uma das áreas mais animadas do Porto é a Praça da Ribeira, ocupada por inúmeras esplanadas, por uma bonita fonte, a Fonte Taurina e por inúmeros edifícios que recordam a época medieval. Não podemos deixar de visitar também o Cais da Estiva, onde podemos encontrar os barcos que realizam os percursos pelo Douro e atravessam até à outra margem onde se situam as caves do Douro.





Situado logo acima da Praça da Ribeira temos o Mercado Ferreira Borges, construído em 1885 e que actualmente serve para exposições e feiras de âmbito cultural. Bem próximo podemos encontrar o o Convento de São Domingos e o Palácio da Bolsa. O Convento de São Domingos, foi fundado em 1239 e foi fustigado ao longo dos anos com diversos incêndios, o último dos quais deixou de pá apenas a fachada do mesmo. Actualmente tem funções financeiras, depois de ser reconstruído pelo Banco de Portugal. Já o Palácio da Bolsa, construído entre 1842 e 1910, é um bonito edifício neo-clássico de linhas elegantes. Aqui encontramos importantes colecções de arte dos séc. XIX e XX.



Seguindo em direcção à Praça do Infante D. Henrique encontramos a Igreja de S. Nicolau e a Igreja de São Francisco. A Igreja de S. Nicolau é uma das mais antigas da zona da Ribeira, inicialmente construída em 1671, foi destruída por um incêndio em 1758 e só 4 anos mais tarde ficou concluída a sua reconstrução, agora num estilo misto neoclássico e barroco. Bem próximo fica a Igreja de São Francisco, que foi inicialmente um convento medieval dos franciscanos. É uma igreja gótica construída no séc. XIV. Contígua a esta igreja encontra-se a Igreja da Venerável Ordem Terceira de São Francisco, sendo a actual sede do Museu com o mesmo nome, onde podemos ver no seu subsolo o cemitério, usado pelos franciscanos para enterrar os membros da irmandade.



Dia 3 - Da Praça da Liberdade ao Palácio de Cristal
O terceiro dia é dedicado a espaços mais amplos mas ao mesmo tempo monumentais. Podemos iniciar este dia junto à Torre dos Clérigos, torre sineira barroca que integra a Igreja dos Clérigos. É o ex libris da cidade do Porto. Foi construída entre 1754 e 1763 e foi classificada como Monumento Nacional em 1910. É imperativo subir os 250 degraus necessários para chegar ao campanário para poder observar a fantástica vista sobre a Foz do Douro. Junto à Torre dos Clérigos encontraremos a Casa Oriental, mercearia fundada em 1910, que inicialmente era conhecida por apenas comercializar produtos orientais e africanos.



Seguimos depois em direcção à Rua das Carmelitas, para visitar a Livraria Lello&Irmão que se situa num edifício singular neogótico construído em 1906. Esta é reconhecida como uma das mais bonitas livrarias do mundo, por diversas personalidade e entidades, nomeadamente pelo escritor espanhol Henrique Vila-Matas, pelo jornal britânico The Guardian e pela editora de guias de viagens Lonely Planet.


Bem próximo encontraremos a Praça Gomes Teixeira, conhecida pela sua Fonte dos Leões, uma bonita fonte mandada fazer fora de Portugal pela Companhia das Águas do Porto em 1882, tendo fornecido durante algum tempo a água a esta zona da cidade. Nas imediações da Praça encontraremos a Igreja do Carmo, igreja de estilo barroco/rococó que foi mandada construir na segunda metade do séc. XVIII, pela Ordem Terceira do Carmo. Esta igreja é contígua à Igreja das Carmelitas, que pertencia ao antigo convento das Carmelitas e que iniciou a sua construção em 1616. Ambas as igrejas foram classificadas como Monumento Nacional em 2013. Por detrás destas igrejas entraremos na Praça Carlos Alberto onde podemos ver o Monumento aos Mortos da Grande Guerra, o Monumento ao General Humberto Delgado e o Palacete dos Viscondes de Balsemão, mandado construir em meados do séc. XVIII e que actualmente funcionam alguns serviços da Câmara.




Voltando para trás, de novo em direcção à Torre dos Clérigos, e deleitando-nos com as fantásticas ruelas do centro histórico devemos passar pelo Campo dos Mártires da Pátria, onde poderemos visitar o Centro Português de Fotografia e o Mosteiro de S.Bento da Vitória. O primeiro localiza-se num importante edifício do séc. XVIII, que foi em tempos uma prisão. Já o segundo foi construído em 1597, pelos frades beneditinos. A sua fachada é simples e de estilo neo-clássico.
Seguindo para a Rua D. Manuel II, observamos o espaço verde mais bonito do Porto, o Jardim do Palácio de Cristal . Estes românticos jardins foram projectados no ano de 1860 pelo paisagista alemão Émile David, para embelezar o então Palácio de Cristal, substituído pelo Pavilhão Rosa Mota na década de 1950.



Para terminar o nosso terceiro dia vamos até à Quinta da Macierinha, sede do Museu Romântico. Este pretende ser uma reconstituição do interior de uma casa de burgueses abastados. Enquanto que o Solar do Vinho do Porto

E pronto....Assim termina a minha sugestão de roteiro para três dias. Espero que vos seja útil e que possam visitar brevemente esta fantástica cidade. E deixem aqui as vossas opiniões.....

Caso precisem de alojamento no Porto cliquem aqui.

Espero que tenham gostado :)

1 comentário:

  1. Fiquei apaixonada pela beleza, fechar esse passeio por este lindo museu romântico deve ser maravilhoso.

    ResponderEliminar