sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Quinta da Covela

Quinta da Covela

O artigo de hoje é dedicado à Quinta da Covela, situada na localidade de São Tomé de Covelas, em Baião, local onde passei um fim-de-semana maravilhoso e onde fui extremamente bem recebida pelo Export Manager e nosso amigo pessoal Victor Mendes e por um dos proprietários da Quinta, o super simpático, Tony Smith.

Quinta da Covela

A Quinta da Covela, datada do séc. XVI, localiza-se nas encostas do Rio Douro bem na fronteira entre a zona granítica da Região dos Vinhos Verdes e a Região de Xisto dos Vinhos do Porto.
Em tempos terá sido constituída por um solar renascentista, os lagares e a capela, agora em ruínas mas terá sido quando passou a pertencer ao cineasta português Manoel de Oliveira, que adquiriu o tamanho e as características que possui na actualidade.

As ruínas da capela e da Casa Senhorial


Conta-se que quando o cineasta quis casar com Maria Isabel Brandão de Meneses de Almeida Carvalhais, o pai desta não viu com bons olhos o enlace, pois segundo o próprio este não possuía terras. Como  resposta, o cineasta decidiu comprar todas as terras em volta à Casa da Covela, que já pertencia à família da noiva. Assim, Manoel de Oliveira passou a ter imensas terras, duplicando o tamanho da Casa da Covela e transformando o local no seu refúgio, construindo aquedutos, muros, casas de pedra e eiras de granito, algo que tornam o local num verdadeiro paraíso.

o legado de Manoel de Oliveira


Da antiga casa de granito, onde habitou Manoel de Oliveira e a sua esposa avista-se toda a quinta, com a vinha, os pomares, o riacho e o antigo moinho de pedra. São cerca de 49 hectares de paisagem verdejante e inspiradora, dos quais cerca de 18 são as famosas vinhas que dão as uvas utilizadas nos famosos vinhos da quinta.

Os terrenos da propriedade
Mais tarde, durante os anos 80 a quinta foi comprada pelo empresário Nuno Araújo, que criou a marca Covela e investiu cada vez mais na produção de bons vinhos, que foram ganhando notoriedade ao longo dos anos.

Instalações onde são recebidos os visitantes da Quinta


Depois de algum tempo abandonada, a Quinta da Covela foi comprada pelos actuais proprietários, Tony Smith e Marcelo Lima, que têm feito um trabalho magnífico para reerguer a marca Covela, com a ajuda de toda a equipa, nomeadamente do enólogo Rui Cunha.
Actualmente, além da casa principal e da adega, desenhadas pelo famoso cineasta português, a Quinta possui ainda três casas modernas com paisagens maravilhosas sobre as vinhas e sobre o Douro, da autoria do famoso arquitecto José Paulo dos Santos. Duas das casas são moradias dos dois sócios e a terceira é uma guest house, onde são recebidos os convidados da Quinta, que ficam por lá a pernoitar.

Quinta da Covela

No fim de semana que passámos na quinta ficámos alojados na magnífica Guest House, decorada de forma maravilhosa, de estilo bem contemporâneo. A mesma é composta por 4 maravilhosos quartos, cada um com casa de banho privada no piso inferior e no piso superior encontramos uma bonita e bem equipada cozinha e uma enorme sala de estar toda envidraçada com paisagens maravilhosas e tem ainda um belo pátio.

Guest House

Este foi um fim-de-semana diferente, num refúgio maravilhoso, rodeados de uma paisagem de tirar o fôlego, cercados de bons amigos, com conversas animadas e regadas com maravilhosos vinhos. 
Só me resta agradecer toda a hospitalidade e simpatia que recebemos e desejar que todos os planos e projectos para a marca Covela sejam concretizados.



Sem comentários:

Enviar um comentário